Gostou? Compartilhe! :)

O que fazer quando o outro tenta diminuir você? Ouvi essa pergunta de duas pesssoas nos últimos dias e resolvi abordar o assunto neste artigo para oferecer a reflexão de como você reage a uma atitude dessas e o porquê desse comportamento do outro.

Vamos analisar sob dois pontos de vista:

1. Sob o entendimento do outro: quando ele diz palavras que te reduzem, faz comparações que te colocam em segundo plano talvez a intenção dele seja se promover. Talvez ELE se sinta em desvantagem e para se sentir melhor, coloque você pra baixo. É legítimo? Sob o ponto de vista de quem age com ética, não, mas pra essa pessoa a ação tem uma intenção positiva: a de se defender de um possível ataque. Mas por acaso você quer atacá-lo? Nããão, mas é o que ele sente, é como ele se sente. Ao entender que todos têm uma intenção positiva quando dizem ou fazem algo, fica mais fácil compreender o porquê de qualquer ação. E ao entender isso, você aprende a lidar com a situação.

2. Aí entra o outro ponto de vista: o seu. Como encarar uma situação dessas? Agora que você já sabe que a intenção dele é se defender, se proteger, como administrar essas palavras ofensivas, sem que isso te abata? Eu gosto muito de uma reflexão que é assim: quando eu te dou um presente, por exemplo: faz de conta que é seu aniversário e eu resolvi estudar o que você gosta, as suas preferências, pra te dar algo bem personalizado. Eu embrulho esse presente super produzido numa caixa linda, com um laço vermelho daqueles de encher os olhos e te entrego. O que você faz? Eu imagino que você vai abrir um sorrisão, vai pegar o presente na mão e me agradecer.

Mas eu chego pra você com um saco de lixo como presente. Com aquele aspecto de saco de lixo mesmo sem embrulho nenhum, e até com um odor bem ruim, de lixo velho e podre. Você aceita? Eu espero que não.

Essa é a questão: está em nosso poder aceitar o que o outro quer entregar. E se ele só pode entregar um saco de lixo, muito lamentável, mas você não tem que aceitar. Porque as pessoas só dão o que tem pra dar. Portanto não é o que o outro te dá que tem relevância, o que está em jogo é a forma como você recebe o que o outro tem a intenção de te dar.

Fique por dentro das melhores oportunidades, é grátis! >> Cadastre-se <<

A forma de reagir a isso vai determinar o tipo de comunicação que você terá. Se interpretar a tentativa do outro de te diminuir como uma agressão, talvez queira agredi-lo de volta e aí a relação se torna uma guerra. Se você optar por ficar quieto e engolir seco (você não precisa fazer isso), isso pode te amargurar tanto que vai estragar seu dia, às vezes sua vida. Você pode se aquietar, se fechar e se impedir de ser você mesmo, acreditando no que o outro disse, aceitando o estado a que ele quis te colocar.

Pra ficar imune a isso, em primeiro lugar é fundamental que você se conheça, que olhe pra dentro de você e enxergue o que tem de bom. Faça a sua lista de pontos positivos, reforce pra você mesmo do que é capaz, o que você faz bem… isso é autoamor, isso é se reconhecer, isso ajuda a entender que você merece o que tem e onde chegou. Essa é a base da autoestima que te ensina a se posicionar melhor diante das pessoas e situações. Esse é o caminho para a construção de um comunicador mais presente, mais brilhante, mais intenso.


Por: Aurea Regina

Fonte: Administradores

Imagem em destaque: Foto/Reprodução internet